Primeira, segunda, terceira, quarta, quinta....impressão!!

Cuspido por Sr. Smurf sexta-feira, 24 de dezembro de 2010 2 enxeções de saco

Claro que todos conhecem aquele lance de que: "A primeira impressao é a que fica", e eu fico pensando, que besteira de frase. Sim, frase horrível, deveras ruim, explico já. Antes vamos a música do post:


 Rhapsody in Blue, na versão da Disney em Fantasia 2000

Pois bem, um dia desses eu apresentei o SV ao meu pai, e ele dando uma olhada no blog falou alguns comentários, todos sempre positivos, considerando que críticas são positivas para a melhora. E disse também, sua opinião sobre os comentários nele ditos, e ele julgou as pessoas de forma precoce, apenas pelo comentário. E em outros post's ja apresentou uma opinião um pouco, ou muito, diferente do que tinha dito sobre as mesmas pessoas. E ainda mais, suas opiniões divergiam das minhas sobre elas.

Depois eu fiquei pensando, realmente essa coisa de "primeira impressão" é, de fato, muito ruim. O assunto principal do post seria o porque essa primeira opinião é ruim, e normalmente, contraditória a realidade, caso exista alguma. Mas após refletir um pouco sobre isso, vi que o problema não é a primeira impressão, e sim, como se forma a opinião sobre uma pessoa, ou melhor, como se conhece uma pessoa! Conhecer no sentido de saber como ela é, não de ser apresentado por alguem, ou sozinho.

Então, vamos filosofar...
Se a primeira impressão não é capaz de apresentar uma opinião fiel a realidade, é de uma outra forma que se conhece o outro.
Refletindo sozinho, pensei em varias coisas, entre elas uma historinha, que tentarei passar aqui, mas como não me lembro do texto original, se é que existe um, então vou contar com minhas palavras a ideia dele.

Tinha uns 3 ou 4 cegos, tentando definir o que seria um elefante. Um deles pegou na calda dele e disse, "é fino, pequeno e facil de mexer", outro pegou nas presas dele e disse, "Nada disso, é um pouco grosso e rígido", e ja o terceiro pegou no meio do elefante e disse, "Vocês dois estão errados, ele é grande, não consigo nem pegar nele todo, parece uma rocha"
Nesse exemplo, com 3 cegos, todos eles definiram de uma forma diferente um "objeto de estudo", apesar de divergirem nas opiniões, todos estavam certos sobre o que falavam. Eu acredito que isso seja a "primeira impressão" de cada sobre o elefante, agora, cada um tem que ter a 2ª, 3ª, 4ª, 5ª impressão do mesmo para se aproximar ao que realmente é o elefante.

Também lembrei uma outra historinha, que li no livro "O Mundo de Sofia", era uma coisa estilo mundo das ideias de platão. Como também não tenho o texto original aqui, vou escrever a ideia.

Uma panificadora produz pães, claro né, hahah. E todos esses pães saem de uma mesma fôrma, molde, tipo uma chapa com o formato do pãozinho, mas mesmo assim, todos saem diferentes, uns com mais ou menos massa, uns maiores, outros menores, alguns faltando pedaço, enfim, diversas variações, mas o estranho é, mesmo elas saindo de uma mesma fôrma, elas não têm a mesma forma. Você não conhece essa tal fôrma, mas pode imaginá-la, basta você pegar uma quantia considerável de pães e olhar suas semelhanças e diferenças, para assim, poder imaginar. Claro, se você pegar um ou dois pães, você ja pode ter uma ideia de como seja a fôrma, mas esses dois pães podem estar amassados, e assim, você se equivocar na ideia, por isso que é necessario você pegar uma quantia razoável de pães, para que ao longo das observações, a margem de erro vá diminuindo.

E é com essa ideia acredito que seja possivel conhecer uma pessoa, tendo varias impressões da mesma, mas pensando ter relacionado essas duas historias ao "como conhecer uma pessoa", encontrei um problema, as pessoas, e talvez as coisas, estão em constante modificação, a história dos pães não seria suficiente para explicar como se conhece os outros. Então imaginei outra analogia, e quero aqui, apresenta-la, ela exige um pouco de imaginação, então siga-me os bons!

Imaginem uma gota de água, essa gota seria a compilação de informações que define uma pessoa, e não é do dna que estou falando, pois não é possivel, pelo dna, saber as opiniões e gostos de cada ser.
Então, você conhece essa pessoa, digo, apenas são apresentados, e conversando passa a conhecer, de fato, uma parte dela. Uma fração dessa gota, você compreende, e mais e mais conversas, vai descobrindo mais e mais informações sobre ela. Só que tem um problema, as pessoas estão em constante transformações, então seria uma gota escorrendo em uma parede infinita, aonde não é possível ver a fonte. A fonte, seria a vida, a gota, seria a pessoa, e o rastro seria sua história. E mesmo que você conheça muito, ou quase completamente essa gota, ela não deixa de se modificar a cada mínimo lapso de tempo. Como conhecer sua história, apenas conversando, mas não é possível conhece-la por completo naquele momento, até porque ela se modifica, e nem ela mesmo a conhece.


Apesar de eu ter desviado um pouco o assunto principal do texto, essas duas mensagens são interessantes, a primeira impressão, normalmente, é equivocada, você precisa de mais "analises" para conhecer melhor, mesmo sabendo que sua constante transformação lhe impede de conhecê-la por completo.
Ah, essa constante transformação que indica que estamos vivos, se fossemos sempre iguais, sem nada adicionado ou subtraído, não faríamos nem diferença para nós mesmo, até porque, quem fica parado é o morto.

-----------------------------------------------------------

Ahh...


Feliz natal para todos, claro que esse "feliz natal" será atendido, até porque, sei que vocês sabem o segredo da felicidade, e para quem não sabe ou já esqueceu, aqui está.

Abraços do Smurf

2 enxeções de saco:

Carolmig disse...

totalmente verdade isso. A primeira impressão quase sempre é equivocada. Adorei o post, Parabéns! Malz a demora pra ler.. kkkkk

Lucas Dórea Cardoso disse...

lendo assiduamente tudo do SV :D

Férias tediosas né... da nisso xB


mas henfiiiin,
Curte lá o novo Post do Tente Perceber (O Discípulo) :

http://tenteperceber.blogspot.com/2011/01/seja.html

é uma Crônica, Os outros são Poesias.