Feliz, o ditador da "alegria"

Cuspido por Sr. Smurf segunda-feira, 2 de maio de 2011 4 enxeções de saco

Não sou muito de contar histórias pessoais, e até mesmo, as vezes, muito internas...mas tentarei explicar ao máximo para aqueles que não sabem da história.
Quinta passada, na creche em que eu estudo, houve um episódio em que me fez pensar em uma possibilidade interessante, um ditador que forçasse as pessoas a se divertirem.
Bom, vou contar o que ocorreu, mas antes uma música do balacubaco...

E a história começa +- assim:
Lá na creche inventaram de fazer uma 'gincana' com algumas brincadeiras "saudáveis", como por exemplo: empurrar uma bolinha de ping pong apenas assoprando...; entrar umas 30 a 40 pessoas em uma kombi ao mesmo tempo...; e alguns outros até mais interessantes, como tirar nota máxima em alguma prova acadêmica durante determinado período. Não colocarei fotos aqui para não expor as pessoas.

Cada sala representava uma equipe, e ao longo de um 1 mês inteiro(eu acho) iam acumulando pontos para um determinado prêmio.
Então na quinta passada seria dedicado três horários para a gincana, com todas as equipes/turmas, ou seja, teria os três primeiros horários com aula normal, e os últimos três seria a gincana. Bom, como toda competição entre equipes, o normal é que os integrantes das equipes tenham uma harmonia, e um pensamento coletivo, que eles realmente integrem o grupo, em outras palavras e sem redundância, que seja uma equipe unida. E a equipe, nesse caso, se traduz como a sala, a minha com 34 alunos...

Pois bem, quinta feira eu chego na sala e vejo umas 15 pessoas, aproximadamente, comigo, 16...
Agora você me pergunta: "não eram 34?". E digo, sim, eram 34 pessoas na sala, e continua sendo 34 pessoas na sala, mas apenas 16 foram quinta feira para a aula. Ou seja, a equipe não era unida!!! Bom, digamos que você esteja em uma equipe para competir, e metade dessa equipe não compareceu ao 'jogo', qual a sua vontade? De mudar de equipe ou sair dos jogos claro. Porque você irá se sacrificar em algum jogo por pessoas que não fazem o mesmo? Eu vendo que esse lance de gincana era furada, durante o terceiro horário me dirigir ao coordenador para solicitar minha dispensa no dia, para que eu fosse para a casa. E ele me respondeu que naquele dia, em especial, só aceitava a autorização escrita na agenda, e eu insisti, perguntei se nem ligando para minha mãe ele me liberaria, e ele respondeu algo curioso. "Hoje não, porque caso eu deixe você se dispensar com a autorização da sua mãe pelo telefone, então passarei o dia todo conversando com diversos pais pelo telefone, para que liberem seus filhos", para você perceber como a gincana estava fazendo sucesso...

Então, de certa forma, eu fui obrigado a ficar no colégio, e me dirigir ao local de provas das gincanas, o ginásio.
Lá começaram as provas e tal, e durante muito tempo não foi necessário minha participação na equipe, e eu também não queria participar...ahh, esqueci de comentar, 16 foram para a aula, e no ginásio foram apenas 15 pessoas, alguém conseguiu sair daquilo...enquanto isso o povo estava la brincando e tal, e eu no meu canto, contando o tempo para ir embora, para almoçar, pois estava com fome também, mas isso não importa. Então.......teve uma brincadeira que necessitou de 15 pessoas, e eu e um cara lá, se recusava a ir, acabou que nossa turma não participou. Agora você diz: "culpa sua! Se você tivesse participado, sua equipe teria brincado", e é só ler o texto novamente para perceber que não foi exatamente assim. Porque tinha 15 pessoas presentes? porque metade da sala não estava la!! Ahh, mas você pode ate dizer, "as pessoas podem ter faltado por motivos pessoais...", sim, talvez 1 ou 2, mas convenhamos metade da sala faltar em dia diferentes, é porque tem coisa ai...e outra, no dia seguinte teve uma prova acadêmica e quem diria mais de 30 pessoas compareceram!! Interessante, talvez o motivo pessoal da galera não tenha sido alguma doença....trágico.......

Bom, nesse dia eu pensei, "se a gincana fosse totalmente optativa?", então só iriam estar presente quem quisesse participar, criando uma boa competição, e também fiquei pensando "porque o coordenador não me dispensou?"...e foi ai que pensei como seria um ditador da alegria, porque, de certa forma, eu estava sendo forçado a me divertir, em principio a gincana era pra ser divertida, claro...

Depois eu percebi que tem coisas que são ditas como um direito da pessoa, como votar, e participar da gincana, que depois de imposto deixa de ser direito...A maioria das coisas que são impostas eu vejo com maus olhos, assim como a imposição do "direito" de votar, como você não pode recusar um direito seu? Então isso só pode ser dever...
Todo o direito depois de imposto deixa de ser direito.........
Já pensou, que ridículo, alguém lhe mandando brincar, ou se divertir!??
Segunda a wikipédia, "Ditadura é a designação dos regimes não-democráticos ou antidemocráticos, ou seja, governos onde não há participação popular, ou que essa participação ocorre de maneira muito restrita."
Eu não tive a opção de me ausentar do local....

E o pior é que ainda tem gente que faltou no dia e ficou com raiva da minha não participação na equipe, faz me rir.

Fiquem a vontade para criticar...


Abraços do Sr. Smurf

4 enxeções de saco:

VitiN disse...

esse post me fe viajar o bastante pra nao fazer um comentario que preste... mas me fez pensar...

Sbrabues disse...

Eu acho q o Sr. Smurf é um chorãozinho que não consegue ganhar uma gincaninha de creche!

Bia Campos disse...

Eu acho que vou faltar a semana inteira que escola usa pra fazer a bendita(?) gincana, só pra não correr o risco.

E digo que já estou me mudando pra Cuba. Lá toda sexta tem shows no estilo "aniversário de Brasília"com Xuxa cubana e tudo, e eu pago a empregada e as contas de casa com 20 reais (por mês).

E não sou forçada e ser feliz.

Jess!ca disse...

É. Como é incrivelmente triste o desprezo que os jovens já têm com atividades que estimulam o coletivo e a brincadeira que oferece muito isso. A prova avaliativa é válida, os livros são os corretos gerando a noção de que estes são úteis, enquanto a brincadeira, o estar com o outro, compartilhando vivências é puffff, perda de tempo.

No entanto, fico feliz que a escola tenha tentado promover isso. Já é um diferencial. Pena que os alunos não sabem aproveitar e nem tem consciência do que geram ao fazer isso.

Bem, é por isso que eu ando com um broche que eu adoro: Perca tempo. Pergunte-me como.

:)